12.11.11

Por favor, não me tirem o "meu feriado"

Para o ano, quem é de trabalho, terá mais uns dias para mostrar as suas aptidões. Sabe-se que está na forja  uma negociata para retirar do calendário  quatro  feriados! 
A Igreja Católica tem alguns "para a troca" e fez saber que sim senhor, deixa cair dois, se o Governo fizer o mesmo; quer dizer: os feriados civis “têm” dono, por isso… faça-se a vontade de quem mais ordena (não, não é o povo, isso é coisa do PREC…) e retirem-se da circulação, por exemplo, dois dos feriados que não "fazem falta nenhuma": 1 de Dezembro e 25 de Abril. Assim, como assim, alguém está interessado em festejar revoluções e outras datas parecidas, como o 5 de Outubro? “Tou” a brincar, claro, estas três memórias são marcos importantes da nossa História, DEVEM continuar a merecer festa  rija!
No que à Igreja diz respeito, alguns são intocáveis,claro; deixo um apelo a quem tem  a decisão na ponta da caneta: por favor, não me tirem o "meu feriado", 1 de Novembro, “Dia de Todos os Santos” – é o único em que me “revejo”…

2 comentários:

José Fernandes disse...

A brincar, a brincar é que o macaco é pai dos irmãos. Como esta gentalha que está no poder, não seria de estranhar que os feriados do 25 de Abril, 1 Maio, 5 de Outubro e 1 de Dezembro, sejam dias de trabalho. Para eles essas são datas malditas, principalmente as duas primeiras. Tal com escrevia Guerra Junqueiro, na segunda metade do Século XIX:
-"Um povo imbecilizado, humilde e macambúzio fatalista e sonambulo, burro de carga, besta de nora, aguentando pauladas, sacos de vergonhas, feixes de misérias, sem uma rebelião, um mostrar de dentes, a energia de um coice, pois que já nem com as orelhas é capaz de sacudir as moscas", esta é a definição exacta do Povo a que eu pertenço, onde não me revejo, mas, se for caso disso, irei para as trincheiras lutar pelo ideal em que acredito, não é seguramente, aquele em que nós estamos. Se eles lá estão, foi o Povo que os colocou lá, cabe ao Povo removelos, se tiver de ser com luta, com luta será.

redonda disse...

Não gosto da ideia que vamos perder um feriado sequer, quanto mais quatro...