5.11.11

Isto hoje “deu para o torto”

Bolas, estou sem ideias “brilhantes” para um texto.
Comecei por escrever sobre o provável - é quase certo! - casamento da minha freguesia com a vizinha do lado, porque não reúne os requisitos do “Documento Verde” para manter o estatuto que lhe foi concedido pelo Estado há oitenta e oito anos; desisti e avancei nas teclas com outro tema, voltei atrás e fiz “delete”, e agora vejo-me perante a teimosia da minha mente, “ vá, continua, não desistas”, eu a tentar explicar-lhe que estou “vazio” de ideias, ou por outra: ideias, tenho, mas nenhuma delas é flor que se cheire – alguém estará interessado na leitura de uma das minhas raivinhas? Não creio…
Imaginem esta situação absurda de me sentir com “cara de parvo”, a olhar para o ecrã do “Asus” como quem olha para um espelho; não tenho o retorno da imagem, e isso que importa? Importante é como me entendo, ou não, com as palavras.
Passa da meia-noite, é preferível ficar por aqui – isto hoje “deu para o torto”!

3 comentários:

Rouxinol de Pomares disse...

Meu caro amigo, há dias assim!

Conceição disse...

Pois é meu amigo,mesmo vazio de ideias, acaba sempre por nos prender á leitura dos seus artigos, ainda que tenha "dado par o torto" como diz.

José Manuel Fernandes Simões disse...

...há dias assim. Isto ás vezes é como o interruptor, umas vezes está para cima, outras vezes para baixo. Melhores dias virão.