29.4.06

...As pessoas vieram vestidas de "abril" para ouvir os sons do "Zé " Augusto, Luís Antero, Sérgio, Vieira, Almeida Jr. e Álvaro Assunção (também autor das pinturas que ornamentam os espaços nobres... ).

Cantigas de Maio em Abril

A festa foi bonita, "pá"!

28.4.06

"Pequena que um dia vai ser grande"

Sei de uma menina com resposta pronta sempre que alguma questão lhe é posta.Um dia falei-lhe sobre o "pecado"; segundo o meu conceito do dito, "o pecado está na nossa consciência" - opinei!
Dias depois, voltei ao tema e a menina , de chofre, disse:
- Para mim o pecado é tudo aquilo que gostariamos de fazer e não fazemos porque não podemos ou não devemos!
A menina tem 13 anos, é óptima aluna, empreendedora nas coisas a que se dedica, e como "resposta pronta" para (quase) tudo, construiu o seu "blog". Convidou-me para uma visita, que fiz com gosto.
E a "Anita" escreveu:
...
"Eu, uma pequena (que um dia vai ser grande) rapariga, tenho pensamentos pequenos (mas que
um dia vão ser grandes), até porque com a minha pequena (que um dia vai ser grande) idade, não se deviam ter estes tais pequenos (que um dia vão ser grandes ) pensamentos...Toda esta pequena (que um dia vai ser grande) lógica serve para eu explicar que conheço um senhor grande (que um dia foi pequeno) que tem uma pequena (mas que para mim é grande) teoria, que consiste em que, o mundo dos "grandes"(que um dia já foram pequenos) é cheio de pequenas (mas grandes) complicações. Mas eu, com a minha pequena (mas que um dia vai ser grande) cabeça, que tem pequenos (mas que um dia vão ser grandes) pensamentos, tenho uma teoria melhor (mas não maior), que consiste em que se nós os "pequenos"(que um dia vamos ser grandes) não temos essas pequenas (mas grandes) complicações, leva-me a pensar que, se calhar não será dessas tais grandes (que um dia foram pequenas) cabeças, que tornam "coisas" (que na realidade são pequenas) numa "coisa" grande, só para ficar proporcional à sua grande cabeça?! Fica a pergunta no ar...
Termino a minha pequena (que não deixa de ser grande e boa) teoria.
Aceitam-se pequenas (mas que para mim serão grandes) sugestões...
E um pequeno (mas especial) beijinho para o tal grande (que um dia foi pequeno) senhor!****"

20.4.06

Adolfo Rocha



O distinto médico Adolfo Rocha andou pela minha serra e dela fez poesia.
Na imagem, o mobilário do seu consultório.
Falta dizer o nome com que assinou a sua obra literária (embora seja, de todo, desnecessário...) :
Miguel Torga!
.....

"Quem faz o que pode, faz o que deve" - disse

16.4.06

De novo Abril!


O cenário está pronto,
os músicos apalavrados,
e até o Vieira dirá poesia do Zeca
- tudo nos "conformes" para não esquecer as flores de Abril,
cravos , rosas,
pensamento, intervenção cívica,
barbas e cabelo comprido,
a malta da Lisnave na "cabrinha" numa "luta de classes com doses de tigres" e cerveja até fartar,
baladeiros e cantores, poetas, músicos,
greves,
Alentejo, reforma agrária,
África, retornados,
raivas, medos, amores e desamores,
paises novos,
sangue, lágrimas...
Eu sou um pouco de tudo isto neste Abril sem dono.
A festa promete!

10.4.06

O belo do "todo"

Gosto de visitar algumas páginas deste universo de partilha de ideias e imagens.
Uns dias pareço viajante sem destino certo!
Outras vezes basta-me apenas uma (página) e fico cheio do belo que emerge das palavras.
O cinzel, nestes casos, utilizado por mãos de mestre, honra o Grande Arquitecto do Universo - somos parte desse todo.
________
À memória do Ir.'. Fernando Vale, que me honrou com a sua sabedoria e amizade fraterna.
O dia de todas as lembranças...

5.4.06

"Memórias"


A noite está demasiado sossegada.
A minha cidade tem muitas noites como esta, recolhe-se cedo, mas aqui, no meu "universo", de tecto negro e paredes claras onde repousam quadros do Rui Monteiro, iluminados por luz branca e directa, o som que me chega aos ouvidos vem do dedilhar das cordas das violas. São dois os artistas, dois os instrumentos: uma Fender e uma Ovation que se completam como dois amantes apaixonados; à suavidade das cordas de nylon sobrepôe-se o timbre do aço no solo de peças musicais tão clássicas quanto a minha mente consegue catalogar no tempo: "Guitar Tango", "Apache", "The Savage"... e mais e mais!!!
Os " Shadows" foram e são o meu grupo musical de eleição e deles guardo "quase tudo", desde os primórdios dos seus verdes anos à década de oitenta - outra época de ouro nos arranjos de "Themes & Dreams", por exemplo.
Só o Hank Marvin poderia fazer, agora, com que me sentisse jovial no sossego do meu mundo e num tempo "quase perfeito"!
...O Sérgio e o "Zé" Augusto às vezes têm destas memórias entre dois whisky's.
Se a capicua aqui estivesse, havia de sorrir com o solo romântico de "Midnight"...