8 de fevereiro de 2006

Laca, gel ou brilhantina?

A eleição do novo presidente da República trouxe matéria para dissecar, consoante as emoções do momento.
Depois do folclore da campanha, a escolha do S. Exª o Prof. Dr. Cavaco Silva não foi, de todo, inesperada. Se o Governo não tivesse aumentado os combustiveis uns dias antes, estou em crer que S.Exª o Dr. Manuel Alegre teria votos suficientes para uma segunda volta, e aí... talvez se repetisse o milagre do galo de Barcelos. Enfim, está feito, não se fala mais nisso, que venha o dia da tomada de posse e a festa laranja, que voltem os bombos e o adufes, gaitas e pífaros, bandeiras e foguetes para a festa ter o brilho merecido. Eu e outros como eu, ficaremos atentos aos discursos de circunstância; para os curiosos, aos pormenores das promessas e garantias de um mandato que "respeitará o sistema democrático", vai juntar-se a atracção do chique e elegância das senhoras e cavalheiros presentes ao acto solene.Por mim, sempre quero ver se o novel presidente continua com o mesmo penteado, risco ao lado, certinho e aprumado.
Usará laca, gel, ou brilhantina?