17.1.06

"- Olá, como está?"

A Fernanda é senhora de amizades antigas. As vicissitudes da vida afastaram-nos de um ocasional "- olá, como está?". Nos últimos anos contam-se pelos dedos de uma mão as vezes que nos cruzámos; ontem visitou-me e gastou algum do seu tempo numa conversa de sentimentos. Inesperadamente.
As palavras vinham em catadupa, fluentes, precisas, e foi fácil entender que eu era terra de aluvião onde poderiam germinar - ela notou-o, eu confirmei.
Manifestei-lhe, à despedida, a surpresa de a saber assim, importante, presente, num tempo de alguma fragilidade espiritual...
Que forças superiores a trouxeram até mim para me falar de recomeços, descobertas, conquistas e vitórias?
...
Alguns dos gestos tornam mais "leve a tonelada".

4 comentários:

Flor disse...

re-descoberta de uma amizade de longa data...é uma velha/nova Fernanda, a mesma que deixaste á uns anos atrás mas com um + para te contar.
E gostaste desse + novo dela?
Xi

Fernando Duarte disse...

Pois é grande Amigo, só mesmo uma pessoa como o Sr Carlos para continuar com um sorriso e a sua boa disposição para nós, mesmo com a solidão e a enorme saudade que imagino, deva sentir.. Não tenho muito jeito para palavras, mas, para lhe dizer que os verdadeiros amigos estão sempre lá quando mais precisamos, não é preciso ser nenhum poeta ou escritor.
Pode contar sempre com este amigo, e obrigado por ter aparecido aqui por esta cidade, só a veio enriquecer.. Aquele abraço

Fernando Duarte

Um outro olhar disse...

O tempo passa, a amizade fica, os amigos distanciam-se, a amizade continua a ficar, nos momentos que necessitam aqueles que nos tocam, são os primeiros a surgir, quando menos se espera.

{-Sutra-} disse...

O destino... para fazerlembrar sentimentos e emoções e a importância das amizades antigas :-)

Beijo doce