8.12.11

Greve geral às doenças

"Não tarda, haverá guerra de "tiros" um pouco por todo o lado..."
Mais palavra menos palavra, ouvi um sujeito do alto sua cátedra vaticinar o breve futuro nestes termos. 
Uns afiançam  que, depois,  a paz será mais prolongada no tempo; outros vão mais longe e afirmam que a Europa JÁ ESTÁ em guerra - falta carregar nos botões de uma "qualquer consola" reservada para o efeito. Quando um louco endoidar, isso é certo! Sobre a paz que há-de vir, quem ficar por cá, dirá...
Em Portugal, estou em  crer que não será necessário chegar a este extremo. Tiros? Não, aumentam-se os custos com  a saúde e basta: não há tiro mais certeiro! Há que reduzir, cortar, eliminar -  o resto é questão de tempo, seremos menos...
 "Morrer assim", NÃO - este é o momento certo para "decretar"  greve geral às doenças! Se aderirmos em força, os hospitais deixam de ter clientes, os médicos, enfermeiros e pessoal auxiliar idem aspas aspas. O Governo - este Governo! - sofrerá na pele a saúde  de todos nós, acabará por adoecer de raiva e morrerá! Lágrimas, só as das carpideiras profissionais...



1 comentário:

redonda disse...

Parece que ultimamente vamos de mal a pior...