26.5.08

Francisco Rolo vai casar!


Veio no insuspeito tablóide “24 horas” do passado dia 15!
O assunto certamente não passou despercebido aos habituais leitores dos episódios pessoais e/ou intimistas – ditos “cor-de-rosa” – de gente famosa, como é o caso da “escritora” Carolina Salgado; eu, curioso, fui às páginas interiores do jornal, no intuito de ficar a conhecer os pormenores do próximo casamento da senhora que, pelos vistos, vai avançada na gravidez, o que abona, penso, a urgência do casório.
A notícia informa que o noivo da escritora Salgado tem um restaurante em Portalegre e uma estalagem em Castelo de Vide, é pessoa de posses e o enlace está para breve – não há mais pormenores que “identifiquem” o futuro marido. Mesmo assim, esmiucei as entrelinhas da primeira página, procurei meias palavras no desenvolvimento do título, e nada, fiquei na mesma – tudo muito em segredo…
Dito assim, a novidade parece não ter qualquer importância, nem o casamento nem a gravidez – o amor de tudo é capaz, quem não cometeu “loucuras” antenupciais que atire a primeira pedra – mas quando o consorte dá pelo nome de Francisco Rolo, a notícia surge como uma “bomba”, embora de fumo rasteiro e fogo fátuo!
Prezo o Francisco Rolo, um bom amigo, mas não lhe conhecia conversada a este nível “publicitário”; que é homem para casar e fazer filhos, acredito, mas subir “tão alto”, a ponto de andar nas primeiras páginas dos jornais pelo merecimento da noiva, ex madame Pinto da Costa – pormenor sem importância neste caso – nunca me passou pela ideia…
Será possível “tamanha fortuna”?
(Não coloco em causa a possibilidade do meu amigo ir num salto ao Alentejo e voltar num pulo às suas obrigações profissionais e sociais que tem por cá, na beira serra, uma, duas…muitas vezes, sem ninguém dar conta!...).
Ora, depois das cataratas do Niagara, onde pousei o olhar de espanto, se há “coisa” na vida que gostava de conhecer “ao vivo”, era a ex madame Pinto da Costa, por nenhuma razão especial, confesso – insisto que sou curioso de nascença…
Como não fui convidado para a boda, perdi essa oportunidade, paciência, mas que me dá pena, também confesso …
Mais calmo, passado o tempo do espanto seguido de outro de resignação, “perguntei”aos meus botões:
- E se a notícia do “24 horas” refere outro “Rolo”?
Enorme a coincidência, a ser verdade a minha dúvida, mas bem pode acontecer…
Até à hora do fecho da edição do CBS foi de todo impossível contactar o meu amigo que, penso, estar inocente no meio desta croniqueta, mas nunca fiando…
Há, pelo menos, uma certeza: se existirem dois Franciscos “Rolos”, um deles vai ter de jurar amor eterno à noiva, “até que a morte os separe”!
Ao rebento do casal, saudações benfiquistas - por um “apito”não nascia sob o símbolo do “dragão”!

1 comentário:

Anónimo disse...

pois meu caro amigo nem assim nem a ninguém ,porque o Francisco sempre foi bastante conhecido a nivel publicitario,mas atraves do seu trabalho nomeadamente do restaurante,nao precisando deste tipo de publicidade, expor assim a sua vida pessoal nao o abona muito.