10.9.07

Quanto mais tarde, melhor

.'.
(Recupero a morte do meu canário, em memória do grande tenor Pavarotti)

A saudade é um “sentimento” semelhante ao amor, paixão, ódio… desprezo?

Segundo uma “ordem de grandeza”, onde deverá ficar colocada?

E a saudade, enfim, também é sinónimo de nostalgia?

Uma tarde destas, numa roda de amigos, ocupámo-nos com o tema de forma assaz calorosa, dado que, cada um de nós, tem da saudade opinião semelhante, mas díspar no conteúdo, segundo a sensibilidade, o que me parece perfeitamente normal.

Leio no dicionário que tenho à mão: saudade - sentimento melancólico causado pela ausência ou pelo desaparecimento de pessoas ou coisas a que se estava afectivamente muito ligado, pelo afastamento de um lugar ou de uma época, ou pela privação de experiências agradáveis vividas anteriormente; nostalgia - sentimento de tristeza motivado por profunda saudade, especialmente de quem se sente estranho, longe da pátria ou do seu lar.

Fica claro que a saudade e a nostalgia andam de mãos dadas e fazem parte das emoções fortes de todos os humanos.

Segundo a “Porto Editora”, é um sentimento e não se fala mais nisso – cada um terá de a colocar a jeito na lista das suas preferências, segundo o “grau de qualidade”.

A nossa discussão teve “picos de audiência”, bem perto da hora do jantar; o Rui, entre o silêncio e o meio sorriso, sugeriu a leitura de “Ignorância”, do escritor checo Milan Kundera , que, a propósito da nostalgia e da tristeza, escreve: “…Para esta noção fundamental, a maior parte dos europeus pode utilizar uma palavra de origem grega (nostalgia) e, além disso, outras palavras com raízes na sua língua nacional: añoranza, dizem os Espanhóis; saudade, dizem os portugueses. Em cada língua, estas palavras possuem um matiz semântico diferente…”.

Ora, de longe, um escritor de prestígio como é Kundera, aproxima-se com realismo do “fado português” (com toda a carga poética que lhe queiramos transmitir) e da palavra saudade que, segundo alguns tradutores britânicos, está classificada em sétimo lugar na tabela das mais difíceis de traduzir! Temos outra com as mesmas características?

Para os nosso irmãos de Cabo Verde, ficou sodade ou sodadi, tal a influência linguística, e é assim, com sodade, que os milhares de emigrantes cabo-verdianos sentem a ausência, tal como nós, da Pátria, da família, dos amigos, dos cheiros e sabores, da paisagem – de tudo que fica na memória, até dos sonhos!

Saudade e nostalgia podem associar-se à efeméride que, por qualquer razão, deixou marca na nossa sensibilidade. Escolho a “minha”: 14 de Setembro de 2006, meia tarde!

Outro tanto, se recuar uns dias para recordar a morte de um belo canário (1), cantor e sedutor como todos os canários - acontecimento comezinho, dirão…

Um dia, pela manhã, encontrei-o “adormecido” a um canto do “palacete de uma assoalhada”, onde havia instalado um trapézio se exercitar.

Fiquei triste - estou triste com o silêncio eterno do meu “amigo”; com alguma pompa, deixei-o aconchegado em campa rasa, debaixo dos “Kivis”, espalhei pétalas de rosa, e elevei a “oração”, que se justificava no momento, a todos os deuses do Olimpo, numa tentativa de marcar na lista de espera novo encontro, de preferência ao som de belos trinados, mas quanto mais tarde, melhor, porque, por ora, continuo a escutar os solos do “Bocelli” – um belo canário, cantor e sedutor como todos os canários.

Quanto à saudade, bem…a saudade – o “tenor” faz parte das lembranças das coisas mortas da minha saudade, por ter sido a única “coisa” viva da minha nostalgia.

(1)

Pela qualidade do trinar, tinha o cognome de “Pavarotti”.

Esta manhã, soube pela TSF que o eterno Luciano Pavarotti tinha morrido.”Estranha” coincidência.

Membros da minha família dos afectos, conhecedores do meu apreço pelo maior “tenor do mundo”, associaram-se ao meu pesar.

Respigo a mensagem da Lena:

Morreu o Pavarotti.
O segundo.
Morreu numa tentativa frustrada de ultrapassar o seu cantor.
Difícil não sentir também mágoa.
(Os vínculos fazem tanta diferença!)
Viva Pavarotti! Viva a música!

2 comentários:

cristina disse...

Adorável! beijos

l_eau_d_issey disse...

..."descansa em paz Pavarotti(can�rio)"....fica a saudade....beijokita