17.3.14

HUC: tratamento " VIP"



Perdi a conta aos anos que me separam de uma certa noite de sábado, que podia ter sido a última entre o número dos vivos.
Sem saber como, no RiTuAL Bar, caí atrás do balcão. O que aconteceu a seguir pertence ao mundo  do "não me lembro", mas tenho presente que "acordei" com  a voz mansa do João Paiva:
- Alguma quebra de tensão, não há-de ser nada , mas é melhor ir ao Centro de Saúde...
O Paiva continuou gentil, sugeriu que o seguisse  até à sua viatura e lá fomos...
Passava das dez da noite, havia imensa gente  à espera de consulta, mas  como "ameacei"  com novo desmaio, levaram-me  quase ao colo  à presença do doutor Herdade. Desse momento até ser encaminhado para uma ambulância de "teto alto", a pedido do médico, passaram-se poucos minutos...
A caminho dos HUC,  sob a proteção de um enfermeiro, aconteceram outras peripécias que recordo vagamente . Quando "acordei" estava rodeado de médicos e enfermeiros, e a minha filha  Ana Rita estava com cara de caso, mas sorriu quando  trocámos olhares.
Durante quatro dias fui tão  bem tratado,  que me considerei "um VIP" !
Na verdade, TODOS os doentes  da cardiologia  eram bem tratados...
Volvidos não sei quantos anos, continuo a "sentir-me VIP" quando vou aos HUC para os exames de rotina.
Não tenho pressa em passar ao "Oriente Eterno", por isso acertei o passo com  meia dúzia de comprimidos e cá vou indo, nem sempre muito ajuizado quando a ementa  anuncia   cozido à portuguesa e outras comidinhas leves...
Hoje, segunda feira, a meio da tarde, recebi um telefonema dos HUC. O cavalheiro com quem falei tratou-me  como se  eu fosse "VIP", lembrando-me que os meus registos sobre o colestrol não estavam actualizados e que seria melhor  fazer análises.
- Olhe que não, amigo, disse eu - sempre que vou aí,  levo uma catrefa de exames,  colestrol incluído. Ainda a semana passada "cumpri todos os rituais" e   a doutora Ana Rita  achou que estava tudo dentro dos parâmetros...
- Ah,  como as  análises não são feitas aqui nos HUC, respondeu, não temos os seus registos atualizados. Ainda bem que é cuidadoso; sendo assim, não vale a pena   duplicarmos os exames. Continuação de boa saúde, senhor Carlos...
- Muito obrigado, disse, e acrescentei:
- Registo o gesto com muito agrado, sobretudo agora, quando tanto se diz dos serviços hospitalares; " meio a brincar", digo-lhe que me sinto  "um VIP" com a sua gentileza...
E deixei  meia gargalhada no ar, "feliz da vida" !
Então, até Novembro...

2 comentários:

Silêncio disse...

Ha momentos assim....
...felizes de seren recordados...!e renivados com sorrisos! :)

Teresa Durães disse...

(uns anos depois de ter comentado aqui... olá!)

Experiências de hospitais... Umas más, em todas a vontade de fugir dali. Não sou fã de batas :)

Espero que esteja tudo a correr bem. Bj